Orgulho LGBTQIA+ Somos amor em todas as cores

Estamos no mês em que comemoramos a diversidade!
Dia do Orgulho LGBTQIA+ é celebrado no dia 28 de junho
Orgulho foi alcançado pela luta pelos direitos de se viver como se é
Levante em Stonewall Inn foi liderado pela drag queen negra Marsha P. Johnson

Os dias estão mais coloridos. Faixas e bandeiras com um arco-íris podem ser vistas nas ruas, nas sacadas dos prédios e em muitos grafites e paredes. Sabe por que? Estamos no mês que celebra o amor em todas as cores! Hoje, muitas pessoas podem viver como são. Junho traz consigo uma importante reflexão sobre a liberdade que hoje as pessoas podem vivenciar e desfrutar sem serem perseguidas e condenadas pela sociedade e pelas leis vigentes. 

São direitos conquistados pela luta e envolvimento de milhares de pessoas. Existe um dia em especial considerado marcante para o Orgulho LGBTQIA+. Aconteceu há mais de 50 anos. Na madrugada do dia 28 de junho de 1969, uma operação policial de repressão não passou batida. O bar Stonewall Inn era um dos únicos lugares em que homossexuais se sentiam livres nos Estados Unidos. Era um lugar onde podiam pedir uma bebida e conversar sem conviver com o medo de julgamentos morais e agressões verbais e físicas. 

Quando, naquela madrugada, os policiais entraram no bar e começaram os atos de opressão, com prisão e fechamento do bar, as pessoas iniciaram um levante! Um levante contra as atitudes autoritárias dos policiais. A resistência do lado de dentro do bar logo se espalhou pelas ruas e uma multidão se ajuntou do lado de fora do bar para protestar contra a operação policial. Cartazes e megafones foram usados para que a voz não fosse abafada. A mensagem era clara: ˜as nossas vidas importam! Estamos dispostos a lutar por elas˜.

Na liderança do movimento podia se enxergar pessoas como Marsha P. Johnson. Marsha, uma drag queen negra, e Sylvia Rivera, mulher trans e latina. Juntas, coordenavam o coro de mais e mais pessoas com a vontade de ajudar o movimento a se expressar pela liberdade e contra as prisões e o fechamento do bar. Do medo nasceu a coragem. A coragem para assumir quem são e pelo direito de serem quem são. A chama do Orgulho LGBTQIA+ se acendeu. Pela primeira vez, pode se ver o povo carregar a bandeira nas ruas. A bandeira pela vida como ela é. Sem amarras, sem preconceitos, sem perseguição política e social. 

Ainda assim, existem 70 países que possuem alguma legislação contrária à homossexualidade. Segundo dados coletados pela Associação Internacional de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Trans e Intersexuais, (ILGA), e divulgados pelo site britânico BBC, entre estes países, a criminalização de atos sexuais consensuais entre pessoas adultas do mesmo sexo pode chegar até a uma pena de morte. O Brasil foi apresentado como um país com uma ampla proteção, mas ainda é possível fazer muito mais! 

A Banca do Bem celebra a coragem e o orgulho nesse mês de luta pelos direitos e liberdades. Apresentamos o Livres e Iguais!: O Livres e Iguais! é um livro que demonstra a Declaração Universal dos Direitos Humanos através de 30 cartões destacáveis, ilustrados por artistas brasileiros engajados, acompanhados de textos que explicam cada um dos artigos da Declaração de maneira didática. Além de aprender, o leitor contribui diretamente com a causa: todo o livro vendido gera uma doação para a campanha Ninguém Fica Pra Trás.

A Ninguém Fica Pra Trás foi uma campanha histórica para fortalecer organizações que trabalham acolhendo vítimas de violência e intolerância – mulheres, LGBTs, negros(as), indígenas e refugiados. Mais de 2800 pessoas se uniram para começar 2019 garantindo que elas não estejam sozinhas na missão de não deixar ninguém pra trás.

O que o dia do Orgulho LGBTQIA+ significa para você? Conte para a gente nos comentários…

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *