O amor ensinado de Nelson Mandela

Nelson Mandela liderou o movimento pelo fim da segregação na África do Sul.
Foi perseguido e condenado à prisão por causa de sua luta contra o racismo.
Foi libertado graças à pressão internacional, e anos depois, foi eleito presidente do país. 

Ele ensinou ao mundo que podemos aprender a amar. O amor foi ensinado por Nelson Mandela.

Ninguém nasce odiando o outro pela cor de sua pele, ou por sua origem ou sua religião. Para odiar as pessoas precisam aprender, e se elas aprendem a odiar, podem ser ensinadas a amar. 

da autobiografia “O longo caminho para a liberdade”, 1994.

Nelson Mandela era um jovem advogado que atuava na cidade de Joanesburgo quando Hendrik Verwoerd foi eleito primeiro-ministro numa eleição onde apenas brancos votaram. O país vivenciava uma política de divisão de raças conhecida como Apartheid, em que negros, índios, mestiços e pessoas de cor não tinham os mesmos direitos que os brancos.

Defensor ferrenho da segregação racial, Verwoerd aumentou ainda mais a escalada de violência, instaurou novas leis do Apartheid e baniu o partido que representava os negros. Não demorou muito para que o governo fosse atrás da prisão dos líderes dos movimentos, sob o suposto pretexto de golpe. A oposição foi encarcerada da noite pro dia.

Um dos fundadores da liga da juventude do partido, Mandela se tornou um dos alvos. Ele colecionava admiradores pela defesa que fazia de uma posição mais pacífica e centrada na cultura sul-africana.  Viajou o mundo para levar a mensagem do que acontecia no seu país.

˜Os africanos exigem e querem o direito de um homem, um voto, e independência política. Deixamos muito claro nas nossas políticas que a África do Sul é um país de muitas raças. Há espaço suficiente para todas as raças nesse país˜, disse Mandela, em junho de 1961.

Mal havia retornado ao seu país e foi preso. A justificativa do regime era a de que Mandela teria incitado o crime além de ter saído do país sem permissão. No dia do julgamento, ele compareceu usando trajes sulafricanos tradicionais. Foi condenado a cinco anos de prisão. 

Oito meses depois, o regime realizou uma nova operação contra os líderes de oposição. Mandela foi julgado novamente. E, cinco anos, viraram uma condenação à prisão perpétua.

Perseguição. Repressão. Opressão. Palavras pesadas que podem carregar o significado de 27 anos de prisão. Número: 46664. Codinome: Madiba. Os rótulos e preconceitos levaram um homem à condenação. Não podia conversar com os outros presos. Atrás das grades, preso em um cubículo pequeno, à pouca luz, com visitas restritas e trabalho forçado num sol escaldante, ainda tinha fé, firme e forte, com esperança de conseguir unir o país.

Documentário Nelson Mandela – Em nome da liberdade – dublado e exibido pela National Geographic Channel Brasil

Com a pressão internacional para a sua liberdade, foi libertado. Nos tempos de prisão, estudou os seus inimigos, aprendeu a falar como eles, e a eles, passou a chamar de amigos. Amandla! África! Logo depois, nas eleições em que todos os sulafricanos tiveram o direito de votar, Mandela foi eleito presidente da África do Sul com mais de 60% dos votos. 

No seu discurso de posse, ele celebrou o novo momento do país com votos pela união e pela diversidade do país. 

Discurso de posse de Nelson Mandela como presidente da África do Sul, em 1994.

˜Nunca, nunca, e nunca mais, esta bela terra voltará a experimentar a opressão de um sobre o outro˜, disse Mandela, em um discurso televisionado para todo o mundo. No mais alto escalão, os integrantes do governo passado, líderes de grandes movimentos e de minorias foram selecionados para os seus ministérios. 

O slogan ainda nos tempos de juventude passou a ser a sina do seu governo: A África do Sul pertence aos que nela vivem. A todos. Sem mais distinções ou distanciamentos.

Trecho do filme ˜Invictus˜ (2009). Cena intitulada como ˜Este é o tempo de construir a nossa nação˜. 

Encontrou no esporte um aliado para unir o país. País sede da Copa do Mundo de Rugby em 1995, a África do Sul torceu efusivamente pelos atletas que representavam o país no campo. Antes visto como o esporte do Apartheid, o rugby foi um símbolo da integração da nação do arco-íris. Mais de 42 milhões de sul-africanos torceram juntos pelo triunfo da equipe, desacreditada pelos adversários, mas, reforçada e apoiada por Nelson Mandela.

Clint Eastwood conta essa história no premiado filme Invictus (2009). Aquele homem, que passou 27 anos na prisão, perseguido, oprimido pela luta por um novo país, que sempre torcia contra o time sulafricano de rugby nos tempos de prisão, se tornou o principal torcedor de um esporte que simbolizava o Apartheid e passou a simbolizar a nova nação. 

Trailer legendado do filme Invictus (2009). 

No seu governo, a África do Sul foi repaginada. Abraçou as culturas africanas e promoveu a diversidade como a alma do país. Mandela uniu o país. Com investimentos estrangeiros e aparições públicas em todo o mundo, colocou a África do Sul como um dos países em desenvolvimento que, até hoje, tem notável destaque nas relações exteriores. 

Mas, no dia 26 de Março de 1999, Nelson Mandela se aposentou da vida pública. ˜Cada período histórico define desafios específicos de progresso e liderança nacional. E nenhum homem é uma ilha. Eu pertenço a uma geração de líderes para quem a conquista da democracia foi o desafio determinante. A longa jornada continua˜, disse Mandiba.

Discurso em que anuncia a sua aposentadoria política ao parlamento. Nelson Mandela, em 1999.

Ele insistia para todos: eu não sou um santo. Camponês, ativista, advogado, ex-prisioneiro político, democrata, ex-presidente, prêmio Nobel, líder de uma nova nação… Mandela, como costumava dizer, é dono do seu próprio destino. E o destino o reservou um lugar especial de pai de um país renovado pelas suas riquezas culturais e belezas naturais.

18 de julho é o Dia Internacional de Nelson Mandela. Um dia sobre justiça. Um dia sobre esperança. Um dia sobre vida. Um dia para se lembrar que nós podemos aprender a amar.

Nelson Mandela ensinou ao mundo que o amor pode ser ensinado. 

A Banca do Bem convida você a espalhar o amor e homenagear as pessoas que você admira. O livro Você Mora No Meu Peito vem com 25 frases lindamente ilustradas com espaços para você personalizar e expressar o que sente, com carinho e emoção. 

1 livro = 1 doação à Make a Wish Brasil.

O que Nelson Mandela representa para você? Conte para a gente nos comentários.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *